sexta-feira, 6 de julho de 2007

A Máquina


por Jônatas Andrade

No tempo de Antônio...

Nordestina, cidade pequena e imaginária repleta dos seus tipos. Uns petrificaram-se lá como Antônio. Mas alguns, como Karina, querem largar esse tal de “fim de mundo”. Karina quer o mundo só para ela. Antônio quer Karina só para ele. As duas situações não parecem combinar. Então numa atitude homérica Antônio “arreda o pé” e diz que irá trazer o mundo desejado para Karina como prova do seu amor.

A Máquina, mistura de ficção e romance, é o mais novo filme a ser exibido no Cineclube Mossoró. O filme é o vencedor do prêmio de Melhor Filme do Júri Popular no Festival do Rio e ainda recebeu duas indicações ao Grande Prêmio Cinema Brasil nas categorias melhor ator coadjuvante (Lázaro Ramos) e de melhor Roteiro Adaptado.

O filme é baseado no livro escrito por Adriana Falcão que posteriormente foi transformado em peça de teatro dirigida por João Falcão. A peça revelou os talentos de Wagner Moura e Lázaro Ramos. A história gira em torno da busca incessante da personagem Karina (Mariana Ximenes) por seu “lugar ao sol”. Antônio (Gustavo Falcão) se apaixona por Karina a cada dia que passa e a possibilidade de que ela vá embora de Nordestina faz com que ele tome uma atitude extrema. Atitude essa ira pôr sua própria vida em perigo quando ele resolve enfrentar o desconhecido para fazer Karina ficar.

Antônio acaba sendo o último dos seus 12 irmãos a sair de Nordestina. E é uma ida que talvez não tenha volta já que ele promete que se não conseguir chegar ao futuro ele irá provocar sua própria morte na frente das câmeras e jornais sensacionalistas de todo o mundo.

Sem se prender a um só plot cinematográfico o filme explora muito bem a poesia armorial de Ariano Suassuna, a influência da mídia na formação dos seres, a busca de novos ares como forma de alcançar um sucesso que nem sempre vem e também trabalha com a direção de arte em certas e poucas partes “à la Dogville”, de Lars Von Trier. O filme ainda conta a produção musical da DJ Dolores e Chico Buarque.

O amor é o combustível...

FICHA TÉCNICA:
Tempo de Duração: 90 minutos
Ano de Lançamento (Brasil): 2006
Estúdio: Diler & Associados
Distribuição: Buena Vista International
Direção: João Falcão
Roteiro: João Falcão e Adriana Falcão, baseado em livro de Adriana Falcão e
em peça teatral de João Falcão.

LOCAL:
O filme será exibido na Biblioteca Ney Pontes Duarte (antiga União
Caixeiral) com ENTRADA FRANCA.

DATA E HORÁRIO:
No dia 14/07 às 19h30min.

APOIADORES:
Marcha Mundial das Mulheres
DECOM - UERN
Biblioteca Ney Pontes Duarte
Edmilson Serigrafia
Kiko´s Eventos

O Cineclube Mossoró é uma entidade sem fins lucrativos e sem nenhuma ligação partidária. O cineclube promove a exibição de filmes e a realização de debates após as sessões como forma de integrar o indivíduo a sociedade e discutir propostas e temas para a melhoria dos nossos projetos.

2 comentários:

Jônatas Andrade disse...

Esse que é o filme... ! seja ele global ou não como dizem alguns. Quem diz que ele é global é pq nunca procurou saber que alguns atores do filme já estavam na peça antes do filme.

Marcello disse...

Considerei uma sessão e um debate bastante produtivos. E o filme, aahhh q filme!!!